domingo, 23 de fevereiro de 2014

Mal di Testa, e adesso?!


Voce sabe qual a traduçao de "testa" do portugues ao italiano? Cabeça! E ai, jà entendeu o titulo do post? Sim! Dor de cabeça, e agora?!

Quando cheguei aqui na Italia, além de todas as adaptaçoes que um estrangeiro passa, seja cultural, linguistica, costumes, alimentaçao, eu me vi também perdida a primeira vez que eu tive dor de cabeça. Aliàs, todas as "primeiras vezes", fosse de uma gripe ou na elaboraçao de um prato na hora do almoço, costumam ser um degrau para nosso aprendizado fora do paìs. Mas...quem sofre de algum mal, no meu caso enxaqueca(em italiano: emicrania), pode imaginar a agonia e sofrimento que é na hora em que voce menos espera, aonde aquela dor aparece, depois de tantas experiencias, passeios e quase criando uma rotina, seu corpo parece relaxar e é entao que voce fica propenso a haver alguns sintomas de cansaço e o corpo pedindo arrego.

Ir a farmacia, sem passar pelo médico, achando que voce irà encontrar o remédio em cestinhos, como acontece no Brasil, é leigo engano. Aqui se faz fila e voce faz o pedido no balcao ao farmaceutico. Caso voce nao conheça o nome de um remédio e nota-se que é um estrangeiro, as coisas podem piorar: eles nao querem se arriscar a vender um medicamento sem autorizaçao de um médico, pois se voce tivesse consequencias, alérgicas ou mais sérias, poderiam ter que responder por essa açao. 
Entao o turista de passagem deve ir a um medico? Nao necessariamente. Mas, pode ser que voce encontre farmaceuticos que nao vendam logo de cara um remedio à voce caso voce nao tenha conhecimento da composiçao ou nome do produto que deseja. Isso nao é geral, ok, mas aconteceu comigo e somente apòs meses informando-me pela internet ou com conhecidas, italianas e brasileiras, é que eu vim ao conhecimento de alguns remédios para o meu caso. 

E aì começa uma outra aventura, se é que podemos chama-la assim: descobrir o remédio ideal para o grau da tua dor. Sim, eu tenho exaqueca desde meus 15 anos e costumam ser crises fortissimas. Entao, nao foi o primeiro remédio que me aliviou a dor. Testei alguns, em alguns deles cheguei a ter palpitaçoes fortissimas e, jà eram sob orientaçao médica, até ter conhecimento, atravès de um amigo do meu marido que trabalhava em uma empresa de medicinais, de um remédio, com uma composiçao simples mas em dose mais elevada e que, finalmente, resolveria meu problema. 

A dica para quem vem ao exterior: traga uma quatidade razoàvel dos remédios que fazem parte de sua vida hà alguns anos, seja para dor de cabeça, nausea, dor de ouvido, essas coisas "bàsicas" e, no primeiro momento que puder, antes que suas cartelas brasileiras de remédios acabarem, marque uma consulta médica, converse com amigos, procure no google sobre aquele remédio(chegaram a me indicar um remédio, que diziam ser o melhor, mas, quando fui comprar eu soube que ele estava sendo retirado do mercado. Quando fui mais fundo no assunto soube que nos ultimos tempos teve casos de morte com o uso continuo desse medicamento), e và testando o que melhor lhe parecer. Quando voce estiver jà aqui e for de férias ao Brasil, leve a composiçao de seu remédio italiano para que um médico de confiança leia a bula e de a opiniao. E também traga do Brasil, através de bula  e de conhecimentos médicos, as composiçoes que mais dao certo para o seu organismo, assim, chegando à farmàcia voce pode solicitar um remédio para tal doença em base àqueles componentes. 

Por hoje é isso, pessoal, vim aqui para dividir com voces minha experiencia e quem sabe auxiliar a quem està pensando em sair do Brasil mundo afora a também recordar-se de que sim, podemos nos adoentar e precisar de repouso, chazinho quente e remedinhos, mesmo no exterior, hehe. ;)

Bacione a tutti voi!!


3 comentários:

Danielli Lima disse...

Super útil!!!!

La Nostra Italia disse...

Oi Daphne!
Lembrei de um episodio que me aconteceu em 2010. Tinha voltado do Brasil apos passar por uma consulta ginecologica, mas infelizmente nao tive o resultado quando ainda estava la. Minha mae foi buscar o resultado e a cura, deu o nome do remédio para usar e eu achando tudo muito facil, fui despreocupada à farmacia. O problema é que o tal remédio tem outras finalidades na Italia, apesar da composiçao quimica serem iguais. Por sorte nao era nada grave e, explicando à farmaceutica o meu problema, ela acabou me indicando outro semelhante.
O bom que agora sou conhecida dos farmaceuticos da minha cidade :) Uma vez precisei tomar um antibiotico que o médico passou, mas era tarde para passar no médico de base. Consegui comprar e, no dia seguinte, levei a receita e ainda recebi desconto (por ser uma "impegnativa").
O jeito é fazer amizades, contatos que a vida no exterior acaba facilitando.

Daphne Desirée disse...

Nossa, Ju, imagino quando voce descobriu, que preocupaçao! E é assim mesmo como voce disse, quanto mais conhecimento, contatos, melhor é para aprendermos na pràtica situaçoes importantes como essa!
Beijo grande e obrigada por comentar!